Unidades de Tratamento de Esgotos - UTE

LAGOA AREADA

As lagoas aeradas assemelham-se construtivamente às lagoas de estabilização facultativas. No entanto, Dependem da introdução artificial do oxigênio requerido pelos organismos decompositores da matéria orgânica solúvel e finamente particulada. A energia de aeração também possibilita a manutenção da massa líquida em total suspensão, e a conseqüente formação de flocos biológicos, para posterior separação na unidade seguinte de sedimentação. A remoção de lodo ocorre em períodos de poucos anos. Nas lagoas aeradas são admitidas profundidades de até 3,0 m, definidas em função da aplicação dos dispositivos de aeração e misturação.

A lagoa aerada do CESA/UFRJ apresenta as seguintes dimensões: extensão de 11,00 m, largura de 4,00 m e profundidade de 2,50 m. Os taludes internos, revestidos em concreto, e externos apresentam respectivamente as seguintes declividades: 1:2 e 1:5. A lagoa aerada é dotada de um vertedor ajustável que permite a variação da profundidade útil entre 2,10 m e 2,30 m. O sistema de aeração consiste em um aerador tipo jato, dotado de uma bomba de recirculação de 1,0 cv. A lagoa de sedimentação apresenta as seguintes dimensões: extensão de 3,00, largura de 4,00 m e profundidade de 2,50 m. Os taludes internos, revestidos em concreto, e externos também apresentam as declividades de 1:2 e 1:5. A profundidade da lagoa de sedimentação é variável em função da variação da profundidade da lagoa aerada.